quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

O Ultimo adeus a Mandela

São cerca 80 os chefes de Estado e de Governo esperados hoje em Joanesburgo para a homenagem a Nelson Mandela. Registram-se filas na entrada do estádio de Soweto, onde será realizada a cerimônia com a participação de 80 mil pessoas. A partir de amanhã, o caixão será levado pelas ruas de Pretória; domingo os funerais.

A comemoração de hoje vai ser a mais imponente da história do país. O dia em homenagem a Nelson Mandela será realizado em Joanesburgo, no estádio de Soweto, palco da final da Copa do Mundo de futebol em 2010. Domingo será realizado o funeral em Qunu, cidade natal de Madiba. Na celebração de hoje em Joanesburgo estarão presentes chefes de Estado e de Governo dos 5 continentes: presente a Presidente Dilma Rousseff que embarcou ontem para a África do Sul, acompanhada dos ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva, Fernando Collor e José Sarney. Previsto um discurso da Presidente Dilma.

Certamente ainda na primeira fila Obama, com a sua esposa Michelle, junto provavelmente com os seus antecessores Bill Clinton e George W. Bush. Ainda presente o Secretário da ONU Ban Ki-Moon e uma delegação italiana.

Grande ausente, ao invés, o Dalai Lama, que no passado a África do Sul já havia negado um visto para não ter desentendimentos diplomáticos dentro dos BRICS, com o governo de Pequim.

Papa Francisco nomeou no domingo o Cardeal ganense Peter Kodwo Appiah Turkson, Presidente do Pontifício Conselho da Justiça e a Paz, como seu enviado especial ao funeral de Estado do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela.

Ontem à tarde, no entanto, foi feita uma homenagem a Mandela pelo Parlamento sul-africano reunido em Cape Town que, em uma sessão especial, lembrou o “pai da nação” que negociou o fim do “apartheid”, evitando a guerra civil.

Local: Joanesburgo
Fonte: Rádio Vaticano