domingo, 26 de maio de 2013

Rio São Francisco uma Integração de Sucesso


O Projeto de Integração vai retirar do rio São Francisco um percentual muito pequeno de suas águas – 3,5% – para bacias do Semi-Árido Nordestino. Experiências como essa vêm sendo aplicadas com sucesso em outras regiões secas do Planeta como, pot exemplo, no Equador, Peru, Estados Unidos, Espanha e Egito.

No Brasil, existem exemplos de integração de bacias, tais como: do rio Paraíba do Sul para o rio Guandu, no Estado do Rio de Janeiro, responsável pelo abastecimento da Região Metropolitana do Rio de Janeiro; do rio Piracicaba, para reforço do abastecimento da Grande São Paulo, de onde a água é lançada ao rio Pinheiros; o canal do Trabalhador, no Ceará, interligando o rio Jaguaribe e as bacias da região de Fortaleza

Muitos consumidores talvez ignorem que a energia elétrica usada nas residências e indústrias brasileiras é
produzida em diferentes regiões do País e distribuída, sob responsabilidade do Operador Nacional do Sistema (ONS), através de extensas linhas de transmissão. Um morador de Salvador, por exemplo, pode estar recebendo energia de uma usina no Sul do País, e não do complexo de Paulo Afonso, na Bahia.

A energia hidrelétrica, transposta por fios a longa distância, também pode ser considerada uma forma de integração de bacias. Muitas vezes, o aproveitamento do rio para gerar energia impede que a água seja utilizada por outros usuários da bacia e que seja útil também para populações de outras regiões, onde a
energia será consumida. O próprio rio São Francisco é um bom exemplo desse tipo de integração, onde
a maior parte de energia gerada é levada para fora da sua bacia hidrográfica a distribuição da água do São Francisco serão controladas respeitando as necessidades das regiões receptoras, assim como as ambientais,
sociais e econômicas da Bacia do São Francisco.

Uma boa imagem para descrever o funcionamento do Projeto de Integração é a de duas
“torneiras”: uma estaria fixada na altura da cidade de Cabrobó, e a outra, no reservatório
de Itaparica (ambas localizadas no Estado de Pernambuco). Sempre que for necessário, essas
“torneiras” captarão água do rio São Francisco para os açudes integrados ao Projeto.
 Um sistema integrador semelhante será montado no Projeto de Integração.

Fonte oficial  do Governo Federal


O Fim da Prisão de Guantánamo.

Moscou espera que o plano de Barack Obama de fechar a prisão de Guantánamo seja acompanhado por medidas concretas. É o que disse, no Twitter, o comissário dos Direitos Humanos do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia,Konstantin Dolgov. 
Mais especificamente, e em menos de 140 caracteres, o diplomata afirmou que a chancelaria russa espera "que as palavras do presidente americano se completem com ações reais”. Além disso, declarou que ser “hora de acabar com a prática viciosa de violações de direitos humanos [naquela] prisão, conforme exigido pelos defensores dos direitos humanos nos Estados Unidos e no resto do mundo".
Em discurso pronunciado na quinta-feira, 23, o Presidente Obama declarou que a base de Guantánamo, que abriga mais de 150 prisioneiros na ilha de Cuba, deve ser fechada o mais breve possível, e de uma vez por todas. Mais que isso, afirmou que os suspeitos de terrorismo devem ser julgados nos Estados Unidos, e que os detentos contra os quais nenhuma acusação formal foi feita devem ser transferidos para seus países.
O presidente americano instou mais uma vez o Congresso a abolir as restrições relativas à transferência dos prisioneiros de Guantánamo, e disse que encaminhou um pedido ao Pentágono para que algum lugar nos Estados Unidos fosse escolhido para acolher tribunais de crimes de guerra.
Obama tinha prometido fechar a instalação durante sua primeira campanha eleitoral, em 2008. No discurso da última quinta-feira, enfatizou que a prisão é muito onerosa para o país, além de desnecessária para garantir sua segurança. Além disso, culpou o Congresso pela demora no fechamento da base, e disse que não havia "justificação além da política para impedir a abolição de um estabelecimento que nunca deveria voltar a abrir".
Fonte Diário da Russia

O Fracasso Americano do Oriente

 O Fracasso Americano no Oriente 


Como todos Sabemos, a politica internacional estadunidense para o oriente médio tem se intensificado de forma assustadora, principalmente depois da queda do regime iraquiano e com a morte de Saddam Hussein.

Sobre a acusação leviana  dos Estado Unidos, do Regime Ditatorial de está usando um arsenal de armas químicas o que poria em risco toda comunidade internacional, e que precisaria ser detido pelo o agente do Bem e defensor da Humanidade, os Americanos,  sobre o comando do pesticida e demoníaco,  George Walker Bush.

Com o sucesso rápido e devastador  a favor dos Americanos, sobre os lançadores de misseis nas costas dos Homens dispostos a morrer pela pátria Iraquiana e de alguns homens bombas, mais uma vez americanos triunfaram nas frente das   lentes programadas e sob holofotes parcializados do mundo capitalista. 

Partem para a propagação da Primavera Árabe, como faca em melancia com pretexto pre- Elaborado de  civilizar os regimes estabelecidos no poder há mais de vinte anos. Na sua maioria colocados no poder e apoiado por décadas pelos o Próprios americanos, que agora querem o remodelamento de poderes a fim de garantir seus investimentos ao redor de sua nucleação econômica, regida por sua colonia moderna que nada mais, nada menos, está sob as ordens de Israel


 Foi assim que o Governo do Egito Ruiu com   Muhammad Hosni Said Mubarak divulgado intensamente nas redes sociais atribuídas como se comum fosse, um movimento puro e só das redes sociais. Isso seria o tiro de misericórdia que os americanos precisavam para ganhar a opinião internacional e continuar de forma rápida e  
devastadora uma escalada  da violência em toda região onde os regimes não  atendessem os chamados econômicos da politica perniciosa americana para as chamadas periferia econômicas. 


Com as vitoria obtida de seus aliadas na enfraquecida economia egípcia ficaria aberto o portão para o esfacelamento de uma uma ditadura, criada e engendrada durante 42 anos pela própria casa branca, o Regime de Muamar Kadafi.

Kadafi resistiria não por muito tempo, seu governo não encontrou apoio no regime chines e muito menos no comunismo soviético que outrora teve bençãos incondicional   de moscou. Com as esperneações de Kadafi  e  isolado  não resistiu as armas dos exércitos mercenários europeus que logo mostrou forças incomuns e sucumbiu o regime comunista.

Sedentos pelo poder  e apoiado por meia duzia de países orientais, seria a vez de explodir o regime Sírio de  Bashar al-Assad que mostraria a cristalização do mundo Tri polarizado. 

De Inicio tudo parecia  que seria mais  um vareio dos Norte Americanos sobre este regime, que sempre teve o apoio de moscou que o mundo desconhecia. 

Não deu outra mais uma vez a guerra suja entra em ação, sempre soprando a favor dos interesses americanos e cada vez catapultado pela mídia através da s agencia de  noticia que tem um único objectivo: Promover a politica Estadunidense mundo a fora sem levar em conta os prejuízos que  esta possam  lhes causar.

A Russia  e China entra em campo, o campo da  diplomacia.  Foi fator e continua sendo a maior arma que estes dois países até agora tem mostrado ao mundo, que não endossam em hipótese alguma uma intervenção internacional sem o crivo da ONU. Tem procurado arrefecer os ânimos dos que querem o desmantelamento  completo  a qualquer a custo do Regime Sírio e não aceitam as mentiras que os aliados dos Estado Unidos fabricam, como o uso de armas químicas que caracterizam o ultimo recurso utilizado pelos americanos, para ganhar o apoio incondicional dos países que tem poder de veto  no conselho de segurança.


Prof. Adail