quarta-feira, 22 de maio de 2013

Transposição do Rio São Francisco


As principais demandas urbanas do Nordeste Setentrional estão situadas no Ceará, na bacia do rio Jaguaribe integrada à Região Metropolitana de Fortaleza pelo canal do Trabalhador, com 4,4 milhões de pessoas; na Paraíba, na bacia do rio Paraíba, 1,5 milhão de pessoas; no Agreste Pernambucano, com 1,1 milhão de pessoas, além de 1,3 milhão de pessoas nas bacias dos rios Piranhas-Açu e Apodi, num total de 8,3 milhões de habitantes, cerca de 2/3 dos quais dependentes de abastecimento a partir dos grandes açudes da região.

A forte migração da zona rural para a zona urbana e o crescimento vegetativo da população tendem a criar demandas de água nas zonas urbanas cada vez maiores e exigem dos gestores da água armazenada nos açudes medidas de prevenção cada vez mais conservadoras.

Essa situação os leva a guardar mais água para o futuro, à espera de uma seca de ocorrência e
duração imprevisíveis. As perdas nos açudes tendem a crescer proporcionalmente mais do que a própria
demanda urbana. Assim, outras atividades econômicas, que geram empregos e renda para a população,
como a agrícola, por exemplo, serão inviabilizadas, estimulando novas migrações.

A demanda urbana das áreas que deverão ser beneficiadas
pelo empreendimento foi avaliada em aproximadamente 38 m³/s, no ano 2025.

 Desse total, cerca de 24 m³/s correspondem ao consumo humano e 14 m³/s, à demanda industrial.
Com o Projeto de Integração, haverá garantia do atendimento às demandas urbanas através
do bombeamento de água do rio São Francisco para os açudes estratégicos, que, por sua vez, poderão abastecer as cidades da região.

Outros ganhos: o uso difuso O Projeto de Integração foi planejado procurando atender ao maior número de pessoas possível. Os estudos ambientais e de inserção regional do Projeto identificaram que boa parte da população residente nas proximidades dos locais onde serão construídos os canais pratica uma agropecuária de subsistência. Por conta disso, serão instalados pontos de captação de água e chafarizes no curso dos canais ao longo das várzeas.

O objetivo é possibilitar o abastecimento das localidades dessas áreas e viabilizar a agricultura irrigada de pequenos produtores, que são os que mais sofrem com perdas de produção nos anos secos.

Pesquisa do Prof Adail Documentos oficiais do Gov