sábado, 10 de março de 2012

Lincoln, Obama e o racismo nos EUA


Desde 1865, quando a Guerra Civil e a escravidão no país tiveram fim pelas mãos de Abraham Lincoln, o mundo espera ouvir outra boa notícia americana, a abolição do racismo
Prof Adail
© MISTYDAWNPHOTO/SHUTTERSTOCK
Obama, na cidade de Delaware, durante a campanha de 2008
A eleição de Barack Obama trará uma grande mudança na sociedade e na política dos Estados Unidos? Vários comentaristas de peso nos Estados Unidos e fora dele têm respondido entusiasticamente: “Sim”.

Thomas Friedman argumenta, em sua coluna no New York Times, que a eleição de Obama sinaliza o fim real da Guerra Civil americana (1861 a 1865). A guerra sepultou a escravidão no país e reservou um lugar nobre na história para o presidente Abraham Lincoln, mas, de fato, não resolveu a situação racial.

Com o presidente Obama, de acordo com Friedman, não só os problemas raciais serão resolvidos, mas haverá uma reafirmação do “sonho americano”, de que todo cidadão – mesmo pobre, negro e filho de imigrante – pode vir a se tornar presidente.

Mais do que equivocados, esses argumentos são, de certo modo, ingênuos. Ignoram duas verdades Lincoln, Obama e o racismo nos EUA marcantes, com o propósito de mascarar os graves problemas que o país enfrenta: 1) como Obama chegou à presidência; e 2) a verdadeira situação racial no país.

Próximo do final de seu primeiro mandato, e na luta desesperada para mais outro, o que se tem visto até agora  da politica externa de Barack  é a manutenção de seus antecessores que pulverizaram boa parte da periferia do mundo com politica de exclusão social, e conservadorismo exagerado aos velhos rivais. Cito Cuba que ficou longe de ser atendida por Barack ,já que o mundo jogou foco de luz branca para problemas que ele considerou negros.

Obama passou por cima das decisões da UNO, como fez Jorge W. Bush quando Rejeita a decisão do mundo no reconhecimento da Palestina e sua inserção no Bloco.  Agora só falta se reeleger com a promessa de massacrar o tão temido Irã.

Rezamos...