domingo, 5 de fevereiro de 2012

Passa de 300 o número de mortos provocadas pelo frio na Europa

KIEV - O número de mortos pela onda de frio que assola a Europa há mais de uma semana chegou a 307 neste domingo, 5, depois que autoridades encontraram os corpos de dois sem-teto na França. Com temperaturas que chegam a -40ºC em algumas regiões, o frio matou pessoas na Itália, Polônia e Ucrânia, entre outros países, neste fim de semana. Neste último são 131 vítimas, a maioria sem-teto que morreu nas ruas.



Cerca de 1.800 pessoas foram hospitalizadas na Ucrânia desde que a onda de frio começou, há 9 dias. Outras 75 mil procuraram aquecimento e comida em um dos 3 mil abrigos do país. As baixas temperaturas chegaram até o norte da África, onde 16 pessoas morreram na Nigéria.
Em Roma, onde o clima é normalmente mais ameno, a neve cobriu as ruas e paralisou a cidade. Os italianos têm criticado a falta de assistência do governo. "É terrível. Tenho que caminhar duas horas numa temperatura congelante, apenas para chegar ao metrô", disse Federico Maneski, que vive na capital. "As ruas estão cheias de árvores que caíram sobre carros, mas ninguém apareceu para ajudar."
Na Itália, o número de mortos alcançou 17 depois que três sem-teto foram encontrados mortos e dois homens sofreram ataques cardíacos enquanto retiravam neve das ruas.
O aeroporto de Heathrow, em Londres, o mais movimentado do mundo, cancelou metade dos 1.300 voos deste domingo depois que seis centímetros de neve cobriram a área onde está o terminal. O frio também matou mais oito pessoas na Polônia, onde o número de mortos chegou a 53.
Na Sérvia, nove mortos, as autoridades declararam estado de emergência em 32 municipalidades, a maioria no sul e no sudoeste do país. Cerca de 70 mil pessoas estão presas pela neve em vilarejos pelo país. Na Romênia, mais seis pessoas morreram de frio, elevando o total para 34.
Na Finlândia, as temperaturas chegaram a -40ºC, mas isso não atrapalhou a eleição presidencial marcada para este domingo. A onda de frio intenso deve durar ao menos até o meio desta semana. As informações são da Dow Jones.