sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Se acusação de Veja sair na TV, Dilma ganha direito de resposta no sábado

A antecipação da distribuição da edição da revista Veja desta semana para esta sexta-feira (deveria chegar às bancas só no próximo sábado) tem um objetivo claro: permitir que a acusação de que Dilma Rousseff e Lula saberiam sobre corrupção na Petrobrás seja reproduzida nos telejornais e no programa de Aécio Neves na TV.
Veja, porém, não tem o alcance nem a instantaneidade da mídia eletrônica, ou seja, da TV. Desse modo, para que a denúncia se espalhe a tempo de interferir na eleição de domingo, tem que ser divulgada em rede nacional. Nesse aspecto, o último programa eleitoral de Aécio e o Jornal Nacional são as grandes apostas da revista e do PSDB.
As informações que você lerá a seguir foram obtidas junto a fonte no TSE que, obviamente, só aceitou falar ao Blog sob a condição de anonimato.
O que acontece é o seguinte: não há uma única dúvida de que Veja cometeu um crime eleitoral. Se Dilma entrar na Justiça contra a revista, pode pedir milhões de reais de indenização e dificilmente deixará de conseguir. A menos que o doleiro Yousseff confirme oficialmente tudo que Veja diz que ele disse. Dessa forma, a revista terá apenas exercido seu direito e o seu dever de informar.
Ocorre que a “denúncia” de Veja é tão fraca que os jornais O Globo e Estado de São Paulo desta sexta-feira trataram o assunto com reservas, ressaltando que o advogado do doleiro nega que seu cliente tenha acusado Dilma e Lula. Além disso, a Folha de São Paulo nem sequer divulgou a notícia em sua edição impressa.
Ou seja: Yousseff disse a Veja o que não disse nem ao seu advogado. Parece piada, mas não é. Veja quer que alguém acredite nisso.
Porém, a intenção de Veja não é ser levada a sério por pessoas informadas e por veículos que ainda prezam a própria imagem, mas, sim, a de contaminar um pequeno contingente de eleitores que poderia decidir uma eleição que as pesquisas feitas pela mídia dizem ser “apertada”, ainda que as sondagens do PT mostrem que não está tão “apertada” assim.
Um fato é indicativo de batalha judicial que deve ocorrer a poucas horas da eleição de domingo: nos últimos dias do segundo turno, o TSE suspendeu várias propagandas de Dilma e de Aécio na TV e no rádio que continham acusações que ainda não podem ser provadas. Até mesmo críticas ao aeroporto que Aécio mandou construir nas terras de sua família foram vetadas.
Não é o fato de Veja supostamente ser um órgão de imprensa que a torna diferente dos candidatos. A revista até pode veicular acusação desse calibre contra a presidente da República às vésperas de uma eleição e sem apresentar ao menos uma única prova, mas está sujeita a sanções posteriores.
Contudo, calúnia, difamação e injúria são medidas de acordo com o veículo usado para espalhá-las. Veiculação desses crimes em um Blog não tem o mesmo peso – e a mesma punibilidade – que se ocorresse em um meio de comunicação do porte de uma TV Globo, por exemplo.
Por falta de provas e pelo evidente intuito de Veja de influir na eleição, é até possível que o TSE conceda apreensão dos exemplares da revista. Contudo, se o Jornal Nacional ou qualquer outro telejornal reproduzirem a acusação sem provas da revista, tudo muda de figura.
Há pouca dúvida de que, se as tevês reproduzirem a acusação sem provas de Veja, o TSE concederá direito de resposta a Dilma no sábado, um dia antes da eleição e com a propaganda eleitoral encerrada.
Essa, porém, é uma faca de dois gumes. Uma resposta de Dilma pode ser pior do que nenhuma resposta, pois iria conferir publicidade a uma acusação que já vai perdendo força devido ao desmentido do advogado de Yousseff, que está sendo amplamente divulgado na internet – e, até agora, a denúncia de Veja só repercutiu na internet.
A proximidade da eleição é outro fator que joga a favor de Dilma. A parcela do eleitorado que pode comprar uma acusação tão fraca quanto a de Veja é menos informada, pertencente às classes C e D, e pode nem tomar conhecimento dessa acusação antes de domingo. De resto, o eleitorado de Dilma vem desprezando solenemente as acusações da mídia.
As “delações premiadas” vêm acusando o PT – e Dilma e Lula por tabela – há meses. A crença em que o eleitorado de Dilma comprará agora a suposta acusação de Youssef por ter sido feita diretamente à presidente só funcionaria se houvesse uma prova inquestionável dessa acusação, como um vídeo ou uma gravação. Do contrário, será vista como tentativa de ajudar Aécio.
Claro, porém, que não se exclui a possibilidade de Globo, Folha e Estadão estarem agindo de comum acordo com Veja para fazer, na noite desta sexta ou no sábado, alguma acusação que Dilma não possa responder a tempo mesmo que o TSE conceda direito de resposta.
O que fica de tudo isso é que o TSE, tão cioso de suas responsabilidades de impedir acusações sem provas no que diz respeito aos candidatos, estará sob escrutínio da sociedade e dos agentes políticos durante seu desempenho frente a esse previsível golpe de última hora de Veja. Os membros dessa Corte terão que pensar na própria imagem.

Tudo Pronto para o Golpe nas Urnas ?

Em 1982, a Globo montou um sistema nacional de apuração usando como software a Proconsult. O sistema tinha um algoritmo que subtraia votos do MDB e repassava para a Arena. A intenção era desmobilizar a fiscalização do MDB para permitir a fraude na hora da apuração.
No Rio, Leonel Brizola percebeu e botou a boca no trombone - na época, ainda existia o trombone do Jornal do Brasil. No Rio Grande do Sul, Pedro Simon acreditou e desmobilizou a fiscalização. Perdeu as eleições, com os votos em branco sendo preenchidos em favor da Arena.
A fraude na era eletrônica
Vamos supor que estivesse em curso, no Brasil, alguma tentativa de fraudar as eleições. Como seria?
Teria que se valer de um quadro eleitoralmente equilibrado. Temos.
Na véspera da eleição, terias que ocorrer algum fato novo que "explicasse" eventual reviravolta do candidato da oposição. Poderia ser a indicação de um Joaquim Barbosa para Ministro da Fazenda? Alguma denúncia nova, sobre a qual se fizesse enorme alarido?
Depois, teria que ter o controle sobre pontos chave do sistema eletrônico.  A volatilidade dos votos, nessas eleições encobriria eventuais golpes e as ondas captadas pelas pesquisas poderiam ser potencializadas nos lugares certos.
Obviamente estamos falando em tese, com uma visão nitidamente conspiratória.
Mas, digamos que em pontos chave dos desenvolvedores do sistema de votação existissem empresas no mínimo suspeitas, A matéria O histórico de favorecimento e irregularidades nas licitações das urnas eletrônicas  sobre as licitações no TSE mostra um quadro bastante confuso.
Ficaria mais confuso se se levantassem os novos controladores dessas empresas.
Uma das líderes é a Módulo, empresa tradicional que trabalha no segmento de segurança desde os anos 90.
Recentemente, ela foi adquirida por Sérgio Thompson Flores. Quem é ele?
Funcionário público de carreira, nos anos 90, ele foi beneficiado pelo BNDES de Fernando Henrique Cardoso com consultoria na área de privatização. Ganhou dinheiro e sede de sangue.
Depois disso, meteu-se em várias embrulhadas sempre buscando a bala de prata, a grande jogada. Jamais se contentou com o trabalho normal de fazer crescer sua empresa.
Aliou-se a Luiz Fernando Levy, da Gazeta Mercantil, e tentou um golpe para assumir a empresa. Depois, meteu-se em rolos com Tanure, que adquiriu a Mercantil. Mais tarde, passou a prestar serviços a Daniel Dantas, do Opportunity, Na auditoria realizada na Brasil Telecom, depois que saiu das mãos de Dantas, Thompson Flores aparece em inúmeras reuniões com Humberto Braz, o executivo operacional junto à mídia.
Quando começou a febre do etanol, montou um fundo de investimento sediado em Londres, captou dinheiro de incautos para um projeto amalucado de comprar usinas antigas em regiões economicamente inviáveis. Quebrou.
Depois disso, adquiriu a Módulo. Qual sua intenção? Desenvolve-la sem balas de prata? Um empresário que passou a vida tentando a grande tacada tentando agora uma carreira convencional?
A segunda empresa-chave das apurações é um rolo interminável. É do mesmo grupo que controlava a empresa anterior, entrou em nome de parentes e, durante algum tempo, teve participação acionária de Wilson Nélio Brumer, atualmente caixa de campanha de Aécio 
Neves.
Pode ser coincidência, teoria conspiratória. Mas seria medida de prudência se a Abin e a Policia Federal colocassem seus técnicos para uma auditoria completa e um acompanhamento do sistema antes da apuração. Fonte jornal de todos os  brasis

Não se combate Candidato de Oposição sim o PIG


Não existe neste momento e altura do campeonato aniversario as ser combatido por Dilma, o que existe é uma imprensa Golpista sedenta de poder e que sabe que está com dias contados.

Aécio neves há  tempos  que deixou de ser candidato a altura, no enfrentamento com Dilma, candidata a reeleição, até porque o próprio Aécio Neves  não tem proposta, o que tem se observado nos últimos debates é um candidato que vive a mercê de um factoide engendrado pelo o PIG  mentiroso e descabido que o alimenta frente a uma candidata altamente experiente, e com muitas coisas para Mostrar.

O desespero tomou conta geral do sistema golpista brasileiro "PIG" que sabe que no próximo governo do PT muitas coisas podem mudar para pior. Adeus  Veja, Globo, estadão e Folha, Época  e outros coadjuvante que emburrece o país.

  

Os 15 Motivos que explicam que Golpe da Veja fracassou

1. ​O​távio Cabral, ​assessor de Aécio é um ex-repórter de Veja.

2.​ Gerson ​Camarotti​, coroinha da Globo,​ escreve que Álvaro Dias teve acesso ​a​ toda ​a ​delação premiada ​do doleiro do Juiz Moro e​ entregou ​a​ Aécio.

3. ​Ex-presidente do PSDB, Sergio Guerra é citado​ como beneficiário do esquema.

4. Álvaro Dias é apontado como ​também ​beneficiário, segundo laranja de Yousseff.

5. Advogado de Yousseff diz que laranja mente e tucanos não estão envolvidos.

6. No Twitter, o tucano José Aníbal cita Lacerda sobre ​JK​ – Ele ​(a)​ não pode ser candidato ​(a) ​…​ não governará.​

7. Advogado de Yousseff ​foi ​conselheiro da Sanepar, empresa de Saneamento do Paraná, no governo de Beto Richa.

8.​ Manifestação na Potato Square é retumbante fracasso.​

​9. ​Ibope e Datafolha ​plagiam DataCaf e ​apontam dianteira de Dilma.

​10​. Veja antecipa ​a ​capa. Doleiro diz que Dilma e Lula sabiam de tudo.

​11. Investigação da Lava-Jato pelo Juiz Moro é eleita “a Esculhambação do Ano” pela OAB de Vila Valqueire.​

1​2​. ​Ataulfo Merval diz que capa da Veja “pode ser definida como a última bala de prata da oposição”.

13. Quatro horas depois de “lançada” a capa da Veja, advogado do doleiro​ a desmente.

14. PT não entra na Justiça contra o Juiz Moro nem contra a Veja.

15. O Aecínico promete que não vai suar no debate da Globo.

PHA

Veja e seu Banditismo Mediático


Só na imprensa  Brasil que depoimento de bandido indicado pelo o PSDB  para cargos de confiança tem valor  na Mídia.

A Veja ao publicar depoimento  de bandido, com objetivos eleitoreiros se posiciona de maneira covarde e criminoso, na tentativa desesperadora de influenciar o processo democrático em curso que tenta privilegiar um pequeno grupo oligárquico.

O Brasil precisa definitivamente abolir esta pratica covarde e bandida que os meios de comunicação vem fazendo há tempo  e assumidamente, que os Golpistas estão a serviço destes grupos, não o de informar e sim desenformar.

Hoje não precisa mais  combater  Candidatos como é  de costumes nos países que fizeram sua lei de meios. mas sim estes disseminadores da crueldade e do banditismo midiático.

Veja tenta dar subsídio a Aécio Neves, para debate na Globo


A que ponto chegamos.
Uma revista vagabunda, desmoralizada, usa a palavra de um bandido para tentar influenciar os rumos da política brasileira.
Bem que eu falei que a denúncia contra Sérgio Guerra, ex-presidente do PSDB, era uma armadilha.
Na verdade, Veja tenta dar subsídio a Aécio Neves, para que ele tenha o que acusar no debate da Globo amanhã.
Evidentemente, tudo dependerá da repercussão em outros meios de comunicação, que às vezes hesitam em repetir as mentiras da Veja.
A repercussão da denúncia será capa da Globo? Irá para o Jornal Nacional?
Provavelmente.
Quando pensamos que a Veja produz esse lixo com anúncios do governo federal, voltamos à necessidade de reformularmos profundamente a maneira com que o poder público lida com as máfias midiáticas atuantes no país.
Por um lado, é até bom que tenha sido a Veja a lançar a “bala de prata”.
Uma eventual vitória de Dilma Rousseff deixará bem claro que é uma vitória contra a manipulação midiática.

- See more at: http://www.ocafezinho.com/2014/10/23/veja-antecipa-edicao-para-disparar-bala-de-prata/#sthash.AmJZXyio.dpuf

Veja e a Ultima Cartada de sua Historia



A menos de 72 horas das eleições presidenciais, a revista Veja, da família Civita, antecipa sua edição, e publica uma capa que poderá entrar para a história do jornalismo brasileiro como um dos mais sórdidos golpes contra a democracia; a revista da Marginal Pinheiros publica trechos de uma mais um vazamento seletivo da delação premiada do doleiro Alberto Youssef; "O Planalto sabia de tudo!", teria dito Youssef; "Mas quem no Planalto?", perguntou o delegado;  "Lula e Dilma", respondeu o doleiro; só mesmo o desespero, após a reversão das pesquisas eleitorais, poderia justificar uma manobra golpista tão escancarada; baixaria sem limites.

Fontee 247

As eleições de 2014 se converteram em um campo de batalha no qual Golpe contra o PT é o Maior Adversário


Intelectuais e dirigentes de organizações populares fazem denúncia acerca de uma grave ingerência do imperialismo para manipular as eleições em nosso país. Some sua assinatura clicando no link ao final da nota.



Estamos diante da mais grave ameaça à nossa jovem democracia, desde o final da ditadura civil-militar na década de 80. Como no período que antecedeu ao Golpe de 1964, podemos observar grandes articulações que, neste momento, confluem para uma manipulação eleitoral antipopular que busca, com a candidatura de Aécio Neves, colocar novamente nosso país sob a administração direta do capitalismo financeiro, mais especificamente do imperialismo norte-americano.


Os trabalhadores e trabalhadoras de nosso país que, como Tiradentes, acreditam no direito que temos de decidir os rumos de nossas vidas livres de ingerências e intervenções estrangeiras, devem estar alertas e prontos para rechaçar o golpe eleitoral que a direita colocou em execução.

Que ninguém tenha dúvida, não se trata apenas de enfrentar as oligarquias mais atrasadas e reacionárias, que dominam nosso país desde 1500, mas de resistir às ações do imperialismo que efetivamente dirige diretamente as ações de desestabilização no Brasil.

As eleições presidenciais de 2014 se converteram em um campo de batalha no qual se uniram para aplicar um Golpe Eleitoral os grandes empresários, os banqueiros, a grande imprensa e outros setores, nos quais as agências de espionagem e desestabilização dos Estados Unidos, como a CIA e a NSA, infiltram-se fortemente nos últimos anos.

As ações de espionagem contra o Brasil e mais especificamente contra a presidenta Dilma e contra a Petrobras, reveladas no vazamento de documentos da NSA, não eram apenas por concorrência econômica, como muitos afirmam. Essas ações tinham o objetivo de preparar o terreno para impedir a manutenção, em nível federal, de um governo de tendências antineoliberais.

Fez parte dessas ações a ascensão de Marina Silva à candidata presidencial, visando impedir uma vitória de Dilma já no primeiro turno. O respeitado professor e especialista em relações internacionais, Moniz Bandeira, testemunha direta e viva de diversas manobras da direita, como o Golpe de 1964, em carta aberta ao presidente do PSB, Roberto Amaral, relata ter inclusive enviado um alerta a Eduardo Campos, que deveria se prevenir. Sua experiência lhe dizia que uma ação desse tipo já era esperada e que Marina Silva não aceitaria ser apenas vice de Eduardo.

Conforme denunciado pelo professor Theotonio dos Santos, Marina Silva, que substituiu Campos como candidata do PSB, objetivamente cumpre o papel de instrumento do imperialismo, articulada, junto a Fernando Henrique Cardoso, no Diálogo Interamericano, instituição fundada em 1982 e que, segundo texto em seu site, reúne "100 ilustres de todo o continente americano, incluindo políticos, empresários, acadêmicos, jornalistas e outros líderes não-governamentais."  Essa organização existe para atacar as democracias latino-americanas e foi uma das articuladoras dos recentes Golpes de Estado em Honduras e no Paraguai.

Devido ao rechaço popular às ditaduras que os Estados Unidos instauraram e mantiveram em toda a América Latina, na segunda metade do século 20, as classes dominantes não encontram apoio suficiente, nem na sociedade, nem nas Forças Armadas, para um novo Golpe Militar. Por isso, o imperialismo busca realizar um Golpe Eleitoral através de três frentes: guerra econômica, guerra midiática e  intervenções a partir de suas infiltrações na Policial Federal e em setores do judiciário.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Empregos, salários e universidades explicam sucesso de Dilma no NE

  • Dilma Rousseff faz caminhada no município de Feira de Santana, na Bahia
Resumir a vitória esmagadora da candidata à reeleição Dilma Rosseff (PT) no Nordeste no primeiro turno ao pagamento do Bolsa Família seria minimizar os avanços em várias áreas obtidos da região neste século.
No primeiro turno, a petista teve uma vantagem de 12,2 milhões de votos sobre o tucano na região. Aécio foi o mais votado no Sul, no Sudeste e no Centro-Oeste, mas na soma do país ainda ficou com 8,3 milhões de votos a menos do que a candidata à reeleição, o que mostra a importância do Nordeste na definição do resultado.
As duas pesquisas divulgadas pelo Datafolha nesta semana confirmam o favoritismo da presidente na região no 2º turno. O levantamento mostra que o Nordeste apresenta o maior desequilíbrio entre os candidatos nas intenções de voto. Dilma alcança a marca de 70% dos votos válidos enquanto Aécio não passa de 30%.
Em relação à primeira pesquisa feita pelo Datafolha no segundo turno, entre os dias 8 e 9 de outubro, a vantagem da presidente na região cresceu oito pontos percentuais.
Assim como em 2010, a discussão sobre o "voto nordestino" voltou a ser alvo de críticas nas redes sociais. Logo após a confirmação da vitória de Dilma no primeiro turno, uma série de internautas lançou ataques aos nordestinos na internet.
Além disso, uma declaração do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso ao UOL colocou mais lenha na fogueira. "O PT está fincado nos menos informados, que coincide de ser os mais pobres. Não é porque são pobres que apoiam o PT, é porque são menos informados", afirmou.
Para especialistas consultados pelo UOL, os votos são reflexo do pujante crescimento econômico, das obras e do triplo de estudantes do ensino superior na região.
Segundo o Banco Central, a economia nordestina cresceu 2,55% no segundo trimestre de 2014. Nenhuma região consegue resultado tão expressivo e a tanto tempo seguido. Pela medição do IBGE, a economia do Brasil encolheu 0,6% de abril a junho. 
O crescimento da economia pode ser explicado pelos ganhos econômicos da região. 
Segundo a PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), entre 2001 e 2012, o nordestino teve o maior ganho de renda entre todas as regiões, o que fez com a participação da base da pirâmide social caísse 66% para 45% --ou seja, mais de 20 milhões de pessoas deixaram a pobreza.
Um dos dados que explicam esse ingresso na classe média é a geração de empregos com carteira assinada. Em 2002, 4,8 milhões de nordestinos tinham emprego formal. No final do ano passado, eram 8,9 milhões. 
Segundo o professor de Economia da Ufal (Universidade Federal de Alagoas) Cícero Péricles Carvalho, o Bolsa Família não é o que sustenta a maioria dos nordestinos, já que existem menos beneficiários que pessoas que recebem da Previdência ou têm emprego formal --que pagam valores bem maiores.
"O Nordeste possui 17 milhões de famílias. Atualmente, são 8,9 milhões de trabalhadores com carteira assinada, 8,7 milhões de previdenciários e 7 milhões de famílias cobertas pelo programa Bolsa Família. Ou seja, a renda, ainda que mínima, chega praticamente a todos os domicílios", explica o professor.
Fonte UOL

VEJA joga a toalha: Ibope mostrará Dilma na frente fora da margem de erro

A Veja já jogou a toalha. Lauro Jardim já apontou, em seu blog: Ibope mostrará Dilma na frente, pela primeira vez, fora da margem de erro.

A revista semanal antipetista mostra que não dá mais. Apesar de manter as críticas infundadas à Dilma e ao PT, sempre sem apresentar provas, a inVeja percebeu que não tem mais o poder que tinha nos anos 90. Hoje temos a internet para nos dizer a verdade.

E quem não relincha, não acredita na inVeja.
Fonte Radar Online

No Ibope, Dilma abre oito pontos de vantagem sobre Aécio em votos válidos; taxa de rejeição é chave para domingo

A chave para domingo é a taxa de rejeição dos candidatos, considerando o número reduzido de eleitores indecisos (de 3 a 5%, sem considerar os que pretendem votar em branco ou nulo que podem mudar de opinião de última hora).
A taxa de rejeição de Aécio Neves, segundo o Datafolha, saltou de 34% para 41% em duas semanas.
A taxa de rejeição de Dilma Rousseff caiu de 43% para 37%. Ou seja, tudo indica que Dilma tem condições de capturar boa parte dos indecisos.
Considerem também que a taxa de “ótimo ou bom” na avaliação do governo subiu para 44%, a maior desde junho de 2013, também segundo o Datafolha.
A soma destes fatores coloca o candidato Aécio Neves numa situação difícil na antevéspera do segundo turno.

Brasil Registra a Menor taxa de desemprego em sua Historia em Setembro de 4,9%

O material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, utilize o link:http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,desemprego-cai-para-4-9-em-setembro-a-menor-taxa-para-o-mes-da-historia,1581279taxa de desocupação de setembro (4,9%) não teve variação estatisticamente significativa frente a agosto (5,0%) e recuou 0,5 ponto percentual em relação a setembro de 2013 (5,4%). Foi a menor taxa para um mês de setembro em toda a série da pesquisa, iniciada em março de 2002. A população desocupada (1,2 milhão de pessoas) ficou estável em relação a agosto e caiu (-10,9%) frente a setembro de 2013. O contingente de ocupados (23,1 milhões de pessoas) permaneceu estável em ambas as comparações. O número detrabalhadores com carteira de trabalho assinada no setor privado (11,7 milhões) também mostrou estabilidade em ambas as comparações. rendimento médio real habitual dos trabalhadores (R$ 2.067,10) ficou estatisticamente estável em relação a agosto (R$ 2.064,82) e cresceu 1,5% em relação a setembro de 2013 (R$ 2.035,62). A massa de rendimento médio real habitual dos ocupados (R$ 48,4 bilhões) em setembro de 2014 não variou em relação a agosto e cresceu 0,9% comparada a setembro de 2013. massa de rendimento médio real efetivo dos ocupados em agosto de 2014 (R$ 48,7 bilhões) cresceu 0,4% no mês e 1,9% em relação a agosto de 2013.

Nem pagando Aécio consegue reunir público em Curitiba

O jornal curitibano Gazeta do Povo pode ser acusado de tudo, menos de petista ou simpático à candidatura de Dilma Rousseff. Pelo contrário. Faz parte do consórcio da velha mídia nacional, que defende o arcaico ideário neoliberal dos tempos de FHC.
Pois bem, ontem à noite o Blog do Esmael registrou que o protesto “black bloc” em favor do tucano Aécio Neves foi um fiasco em Curitiba. Foram contabilizados 300 comissionados do governo do Paraná no evento da Boca Maldita (clique aqui).
Mas outro detalhe importante não escapou aos olhos clínicos da Gazeta do Povo: “Entre os participantes estavam cabos eleitorais. A reportagem conversou com três deles, que disseram ter recebido R$ 100 para segurar bandeiras.”
O jornal foi generoso com o tucano ao afirmar que cerca de mil pessoas compareceram no evento “black bloc”.

Falta de água em São Paulo perguntas e Respostas.

 crise de abastecimento que assola o Estado de São Paulo, em especial a capital, entrou e vez no debate eleitoral nacional. O problema é resultado da falta de planejamento do governo de São Paulo diante da – prevista – pior estiagem desde 1953. Hoje, a principal fonte de captação de água da Região Metropolitana de São Paulo, o Sistema Cantareira, está com apenas 3% de sua capacidade e, segundo o Datafolha, 67% dos paulistanos já sofrem com a falta d’água. Tire suas dúvidas sobre a situação:
A falta de água em São Paulo é “culpa de São Pedro”, ou seja, de uma estiagem histórica?
Não. A estiagem severa que assola São Paulo e outras regiões do País era prevista. Veja o que os promotores afirmam na Ação Civil Pública proposta para barrar a retirada mais água do Cantareira: “A significativa redução das precipitações no Estado de São Paulo, outrossim, já era fenômeno detectado há anos, sem que as medidas para a redução das vazões de retirada tenham sido implantadas pelos órgãos gestores e pela operadora do sistema produtor (Sabesp), visando à preservação daquele manancial”.
O que é o Sistema Cantareira?
Uma Fonte de Captação, ou seja, um local do qual a Sabesp retira a água que posteriormente trata e vende a seus clientes.  O Cantareira é a principal Fonte de Captação da Grande São Paulo. Os outros sistemas que abastecem a região, por ordem de importância, são o Guarapiranga, o Alto Tietê, o Rio Claro, o Rio Grand, o Alto Cotia, o Baixo Cotia e o Ribeirão Estiva.
O que o governo do Estado deveria ter feito para evitar a falta de água?
Em 2004, ao receber a concessão para uso do Sistema Cantareira, o governo de São Paulo e a Sabesp foram informadas sobre a necessidade de planejamento e investimentos em novas fontes de captação, afim de evitar a atual crise. Em seu artigo 16, o documento da concessão estipulava que a Sabesp “deveria realizar em 30 meses estudos e projetos que viabilizem a redução de sua dependência do sistema (Cantareira)”. Como a atual crise comprova, isto não foi feito.
O governo criou algum novo sistema que pudesse compensar a seca do Cantareira?
Não. O Sistema Produtor São Lourenço poderia ajudar, mas não resolver o problema. O problema é que a sua implementação, responsabilidade do governo estadual, está atrasada em dois anos. O São Lourenço colocaria cerca de 5 metros cúbicos por segundo a mais no sistema de abastecimento. Seria uma boa ajuda. Para se ter uma ideia, o Cantareira produz 33 m³. Além do atraso nas obras, o projeto licitado pela gestão Alckmin é apenas parte de um projeto maior que deveria ter sido feito de acordo com os estudos do próprio governo estadual.
O que mais o governo Alckmin poderia ter feito?
Como tinham sido informados do problema, a Sabesp e o governo deveriam estar promovendo há anos medidas como: campanhas para o uso racional da água (que ficaram mais fortes apenas recentemente); mudar o sistema de cobrança, para encarecer a água de quem desperdiça e dar descontos para quem economizar e, por fim, reduzir o desperdício no sistema de distribuição (vazamentos etc).
A Sabesp é do governo do Estado?
A Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo tem 50.26% das ações da Sabesp. Os outros 49,74% da ações estão nas mãos de acionistas privados.
Por que os acionistas da Sabesp receberam bilhões do Estado? O governo escolhe quanto vai pagar?
Quem escolhe quanto os acionistas vão receber é o conselho gestor da companhia, composto por indicações do governo. O estatuto da empresa prevê um repasse de até 25% do lucro líquido para os acionistas, podendo ser menor a depender da necessidade de aumento nos investimentos. Nos últimos anos, a Sabesp tem repassado valores acima deste percentual aos seus acionistas.  Segundo o Ministério Público, do total de dinheiro enviado aos as acionistas, 73% é obtido com a venda da água retirada do Cantareira. Em 2012 e 2013 o percentual do lucro líquio destinado aos acionistas foi o mesmo: 27%, ou R$ 534 milhões. Em 2011, contudo, o percentual foi bem maior: 43% do lucro líquido obtido com a venda de água para a população --o equivalente a R$ 578 milhões.
O que vai acontecer, a água de São Paulo vai acabar de vez?
A água não vai acabar de uma vez. O que vai acontece é que a estiagem deve perdurar e enquanto os sistemas de captação se recuperam será necessário diminuir o consumo, ou seja, teremos que racionar.
Já existe um racionamento informal de água?
O governo não admite, mas há relatos dezenas de relatos na imprensa e nas redes sociais de moradores e empresários que sofrem com uma falta sistemática de água em um determinado horário ou com uma frequência fixa.
O que é o volume morto? Ele vai pode durar mais quanto tempo?
volume morto, ou reserva técnica, é o volume de água que está abaixo do nível de captação das represas. São as partes mais profundas das represas que formam o Sistema Cantareira. Sem novas chuvas e mantido o atual nível de consumo, deve durar, no máximo, até os primeiros três meses de 2015.
O que é ANA? E o DAEE?
A ANA é a Agência Nacional de Águas, órgão ligado ao governo federal e responsável por “implementar e coordenar a gestão compartilhada e integrada dos recursos hídricos e regular o acesso a água”. O DAEE é o Departamento de Águas e Energia Elétrica do governo do Estado de São Paulo.
A Ana “manda” no governo estadual?
Não. Ela deve fiscalizar a utilização dos recursos hídricos em todo o Brasil. Mas sem poder de ingerência sobre estados ou municípios.
O verão está chegando. As fortes chuvas desta época não vão resolver o problema?
Como foi explorado além do que aguentaria, o Sistema Cantareira pode não conseguir se recuperar totalmente com as chuvas de verão. O que pode comprometer o abastecimento na próxima estação seca.
Carta-Capital 

DILMA VOLTA A SER FAVORITA EM NOVA VIRADA DEPOIS DA SOBERBA DE AÉCIO

 Colunista Ricardo Kotscho ressalta o resultado das últimas pesquisas Datafolha e Vox Populi sobre a disputa eleitora; ele aponta como uma das razões para a queda do presidenciável tucano Aécio Neves “a soberba de presidente eleito” usada nas últimas aparições públicas

 Em análise sobre as novas pesquisas Datafolha e Vox Populi, que apontam a presidente Dilma Rousseff batendo Aécio Neves por 52% a 48% dos votos válidos, invertendo as curvas da semana passada, o colunista Ricardo Kotscho diz que a presidente volta a ser favorita para conquistar a reeleição no próximo domingo.
Ele lembra, porém que, nos levantamentos precedentes, a vitória de Aécio já era dada como certa. “Parece que o próprio tucano acreditou nisso, tanto que passou a se comportar nos debates com a soberba de presidente eleito, o que pode ter sido uma das razões de sua queda, não observada pelos analistas políticos que abundam na nossa imprensa”, diz.
Segundo ele, é recomendável muita humildade e cabeça fria nesta hora porque o clima já está quente demais.

Empresas investigadas por cartel no Metrô bancam 56% da campanha de Alckmin




















  • A maior parte da campanha do governador Geraldo Alckmin foi paga por empresas investigadas por participação em carteis do metrô
Mais da metade da campanha do governador do Estado de São Paulo e candidato à reeleição, Geraldo Alckmin (PSDB), foi bancada por empresas investigadas por fraudes e formação de cartel em licitações do metrô de São Paulo e do Distrito Federal. No total, as quatro empresas suspeitas doaram R$ 8,3 milhões, 56% do total arrecadado (R$ 14,7 milhões). O valor leva em conta as prestações parciais de contas feitas ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral).
Em nota, a assessoria de imprensa de Alckmin informou que sua "campanha aceita apenas doações que estão de acordo com a Constituição. A lei nº 9.504/97 (art. 24) permite que qualquer pessoa física ou jurídica, que esteja de acordo com as normas, participe do processo eleitoral".
Três das empresas doadoras já são rés em processos na Justiça: a construtora Queiroz Galvão, a CR Almeida S/A Engenharia de Obras e a construtora OAS S/A, que doaram respectivamente R$ 4,1 milhões, R$ 1 milhão e R$ 860 mil ao comitê financeiro estadual para governador do PSDB.
Do dinheiro oferecido pela Queiroz Galvão, R$ 2,1 milhões foram pagos por uma subsidiária, a Queiroz Galvão Alimentos S/A.
A Serveng Civilsan S/A Empresas Associadas de Engenharia, que é investigada pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), colaborou com R$ 2 milhões.
Executivos de consórcios integrados pela CR Almeida S/A Engenharia de Obras, pela OAS S/A e pela Queiroz Galvão foram denunciados em 2012 por suspeita de fraude e formação de cartel na licitação para ampliar a linha 5-lilás do Metrô de São Paulo. No total, 14 funcionários de 12 construtoras foram denunciados no caso.
As assessorias da Queiroz Galvão, da CR Almeida e da OAS informaram que todas as doações são feitas de acordo com a legislação vigente.
A licitação foi aberta em outubro de 2008, quando o governador de São Paulo era José Serra (PSDB) -- ele deixou o cargo em 2010 para disputar a Presidência da República. Atualmente o tucano disputa uma vaga no Senado. Em 2013, Serra divulgou nota para afirmar que o governo de São Paulo não teve conhecimento e não deu aval para cartel em licitações do metrô.
A Serveng é investigada pelo Cade por suspeita de fraude em licitações realizadas em 2007 para compra de equipamento ferroviário e manutenção de linhas de metrô no Distrito Federal.
Em nota, a Serveng informou que "não possui contrato com o governo do Estado de São Paulo, por meio do Metrô, que seja objeto de investigação do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica)".
Alckmin lidera as pesquisas de intenção de voto no Estado e, segundo o último Datafolha, venceria as eleições no primeiro turno.
Dados Uol.






Vice-presidente do PSDB chama Lula de "canalha" e "imbecil"




FORTALEZA  -  Vice-presidente nacional do PSDB, o ex-governador de São Paulo Alberto Goldman aumentou o tom das críticas contra o PT na reta final da campanha e chamou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de "canalha" e "imbecil". Segundo o dirigente tucano, Lula tem feito uma "campanha do ódio".
Em texto divulgado pela internet, o vice-presidente do PSDB criticou o discurso feito pelo ex-presidente petista no Recife, na terça-feira. Ao lado da presidente e candidata à reeleição, Dilma Rousseff, Lula comparou comparou os tucanos aos nazistas, responsáveis pelo Holocausto contra os judeus na 2ª Guerra Mundial, e atacou o presidenciável tucano, Aécio Neves. 
"Este canalha não tem remédio. Não tem outro nome", afirmou Goldman. "Nunca fizemos qualquer ofensa aos nordestinos. O uso despudorado e distorcido de frases do Aécio (no caso do FHC que em nenhum momento mostrou preconceito contra ninguém, muito menos contra os nordestinos), ultrapassa qualquer limite do aceitável, seja em campanha eleitoral ou em qualquer manifestação. Em segundo lugar porque se utiliza do assassinato de 6 milhões de judeus, inclusive todos meus antepassados, com exceção dos que imigraram ao Brasil, para fazer uma campanha de ódio, aterrorizado pela perspectiva da derrota", escreveu o dirigente tucano.
Goldman reforçou que foi "canalhice" Lula perguntar onde Aécio estava quando Dilma, aos 20 anos, arriscava sua vida na luta contra a ditadura militar. "Na época, imbecil, Aécio tinha 10 anos de idade", disse o dirigente tucano.
O PSDB também soltou uma nota, criticando as declarações feitas pelo ex-presidente no Recife.
Valor Economico.